Saatchi Gallery & a trajetória da Selfie

Desde que me mudei para Londres a Saatchi Gallery conquistou meu coração. A Galeria de arte contemporânea existe desde 1985 mas só em 2008 se instalou onde é hoje. Fica localizada na King’s Road, um dos pontos mais chiques de Londres.

Foto: Divulgação

O que eu mais gosto da Saatchi Gallery é que eu sempre saio de lá com a sensação de que eles sabem fazer exposições. A verdade é que hoje em dia com toda a facilidade da internet e globalização podemos ver fotos, pinturas e artes diversas em todos os lados e no mundo virtual. Nunca entendi porque tanta gente tira foto de quadros em museus (principalmente a Monalisa, no Louvre). Eu confesso que já tirei também.

Nos tempos atuais, se você quer lembrar de uma pintura ou mostrar pra alguém existem fotos muito melhores que as nossas no Google. Mas a gente sabe que a experiência de ver a arte ao vivo é bem diferente. Mas ainda assim, depois de uma tarde no Louvre em Paris ou de ir a três museus por dia em qualquer viagem, a gente também sabe que museu cansa.

E é aí que me entusiasmo com exposições como as da Saatchi Gallery. Elas vão muito além de pendurar quadros na parede e ter salas cleans. Eles inovam a cada exposição com interações, instalações e tecnologia. Trazem temáticas interessantes e transformam o que poderia ser banal em arte, em informação. Fazem pensar, refletir. Todas as vezes que estive lá continuei com tudo aquilo rodando na minha cabeça pelos dias seguintes.

Fui surpreendida com a exposição da Coco Chanel – com aplicativo interativo e salas com cheiros. E a exposição do Rolling Stones – que quase não fui por conta do preço – e só saí lá de dentro porque o museu fechou.

 

 

 

 

 

 

 

Ontem foi a vez de ir ver a exposição From Selfie to Self-Expression – Da Selfie para a Auto-Expressão. O questionamento vem logo no título: selfies também são arte? A mostra começa com pinturas auto-retratos de Van Gogh, Frida Khalo e Picasso. Todas as pinturas exibidas em telas de televisão na horizontal remetendo a um celular. Inclusive você pode dar like/curtir – olha a interatividade aí.

Selfie dos famosos, selfies-memes, selfies arriscadas e em situações de aventura, selfies no espelho, selfies turísticas (alô asiáticos). E muita interação e muito questionamento. Como por exemplo a Selfie do Macaco Naruto que abriu a discussão de quem era o detentor dos direitos autorais da foto.

O legal é ver as tantas expressões que uma representação pode gerar.

Se estiver em Londres ou vindo até o dia 6/9 – vai lá ver a exposição e me conta o que achou! Se vier pra Londres depois disso, dá uma olhada na programação da Saatchi Gallery. Tenho certeza que eles vão ter algo bem bacana acontecendo por lá.

Beijos,

Ju

 


Informações Gerais:

  • From Selfie to Self-Expression: até dia 6 de setembro de 2017.
  • Valor: GRÁTIS!!!!
  • Endereço: Duke of York’s HQ – King’s Road -SW3 4RY – clique aqui para ver no mapa
  • A Saatchi Gallery fica aberta de 9h até 18h (última entrada 17h30).
  • Me leva? Eu posso te levar para esse e outros passeios por Londres? Entre em contato comigo!

 

 

 

Compartilhar:

Frieze: Esculturas a céu aberto

Fui conferir a Frieze Sculpture, a exposição a céu aberto no Regent’s Park em sua primeira edição de verão.

A Frieze é uma curadoria de arte contemporânea que organiza uma das mais importantes feiras de arte, a Frieze em Londres, Nova Iorque e Berlim.

As esculturas estão expostas no English Gardens no Regent’s Park até o dia 8 de outubro e tem entrada gratuita. A seleção foi feita por Clare Lilley (curadora britânica) e inclui 25 obras internacionais dos principais artistas do século XX.

Adoro a ideia de exposições ao ar livre e gratuitas que permitem a interação com o público e com o ambiente. É lindo ver crianças interagindo e adultos sendo surpreendidos com enormes obras de arte em um passeio no parque. Mas confesso que fiquei nervosa ao ver picnics embaixo das esculturas, crianças (e adultos) escalando algumas peças e até um cara utilizando uma das peças para se apoiar e fazer seus exercícios no parque.

E aí vem a “grande questão da arte” – como diria minha cunhada museóloga e consultora de arte da minha vida e do blog Luiza Rache. Qual o limite para a interação? O que cada pessoa sente perante aquela arte?  Qual a interpretação que cada pessoa tem?

E pra você? Qual o limite da interação com a arte? Tem limite?

Ah,  e se for até lá, não deixa de dar um pulo em Primrose Hill. Se você não conhece, siga as placas e surpreenda-se. E depois me conta!

beijos,

Ju


Informações Gerais:

  • A edição de verão da Frieze Sculpture fica aberta até o dia 8 de outubro
  • Endereço: English Gardens no Regent’s Park – clique aqui para ver no mapa
  • O Regent’s Park fica aberto de 5h até 21h30.
  • Me leva? Eu posso te levar para esse e outros passeios por Londres? Entre em contato comigo!

 

Compartilhar: